Artigos e Entrevistas

Ampliada Nacional das CEBs constrói 14º Intereclesial

A Ampliada Nacional é quem decide qual pode ser o rumo a seguir nas CEBs do Brasil. Nos encontros periódicos, quem faz parte dessa Ampliada, vai ajudando que as comunidades eclesiais de base encontrem o jeito de fazer presente a utopia do Reino na sociedade atual. Para encaminhar os trabalhos do 14º Intereclesial, que será celebrado em Londrina, de 23 a 27 de 2018, a Ampliada Nacional está reunida de 27 a 29 de janeiro. A partir dos desafios do mundo urbano, tema do 14º, tem sido debatido como concretizar os passos a serem dados, para que o Intereclesial seja um momento que ajude a encontrar pistas, que permitam fazer presente na cultura urbana do século XXI a Boa Noticia do Reino.

Para a Arquidiocese de Londrina, na opinião do Padre Dirceu Luiz Fumagalli, membro do Secretariado do 14º Intereclesial, “a perspectiva é que esse processo venha nos provocar, nos desinstalar de um processo que estava meio que se acomodando dentro das nossas comunidades. O processo do Inter vem a reaquecer as nossas comunidades e está nos ensinando muita coisa e, por isso, quem mais lucra com essa construção é a Arquidiocese de Londrina”.

A construção do 14º deve partir da conjuntura em que o Brasil e o mundo estão vivendo. Em opinião do sociólogo Pedro Ribeiro de Oliveira, está acontecendo no Brasil uma privatização do Estado, tornando-se donos do capital os herdeiros da “casa grande”. Frente a isso as derrotas da classe trabalhadora só aumentam convertendo a muitos naquilo que Dom Pedro Casaldáliga denomina “derrotados de uma causa invencível”.

A situação brasileira é um reflexo de uma tendência mundial, onde tudo indica que o centro do mundo vai se deslocar para a China. O domínio do capital, centrado no comercio de commodities, está hoje nas mãos de dezesseis grupos que só prestam contas aos investidores. A consequência do auge do sistema financeiro sobre o produtivo tem provocado um aumento da exploração dos trabalhadores e do Planeta. Ao mesmo tempo, a ameaça de uma guerra, inclusive nuclear, aparece no horizonte como uma preocupação para grande parte de população mundial, também das CEBs e de toda pessoa de boa vontade.

As CEBs e, em geral, todas as Igrejas são submetidas a desafios. Diante das ameaças que sofre a vida dos pobres, Pedro Ribeiro de Oliveira insiste na necessidade de ser assumida uma missão profética, que leve a atualizar o anúncio do Reino de Deus, denunciar a instrumentalização da Bíblia, consolar quem sofre e organizar o povo desde as bases.

Como afirma Dom Orlando Brandes, Arcebispo de Aparecida e até pouco tempo atrás Arcebispo de Londrina, na apresentação do Texto Base na Edição 02 do Jornal A Caminho, “o mundo urbano é prioridade da missão”. Fazemos parte de um mundo urbano globalizado, que tem como alma o mercado que leva à “globalização da indiferença”. Diante dessa realidade, somos desafiados, segundo Dom Orlando, a globalizar a “civilização do amor”.

Ao longo destes dias a Ampliada está procurando como concretizar aquilo que deve acontecer durante o 14º Intereclesial, numa construção coletiva, que nem sempre resulta fácil de ser realizada. Organizar este momento, que marca a vida das comunidades espalhadas pelos quatro cantos do Brasil, é um ponto chave para conseguir cumprir os objetivos procurados.

No final, como afirma Padre Dirceu, coordenador das equipes de trabalho “o encontro é sempre um momento favorável”. Neste sentido, ressaltou a importância do “alem de ser um momento celebrativo, que seja um momento reflexivo”. É preciso descobrir que “vivemos um momento de desafios e é necessário que nós possamos fazer do processo e do próprio encontro um momento privilegiado de reflexão do nosso jeito de ser e das suas implicações”. Destaca, olhando para atrás, a necessidade de recuperar “o caráter dos primeiros encontros dos intereclesiais, que não era um encontro propriamente dito das comunidades, mas um momento de reflexão, de estudo, de apontamentos e, é claro, celebrar a certeza desse Deus que se faz presente na caminhada, no chão das nossas comunidades”.

Construamos junto esse jeito novo de ser Igreja, sejamos fiéis ao espírito das Bem aventuranças, façamos realidade hoje, no meio do nosso povo, como CEBs, numa Igreja com protagonismo laical, esse modo de vida que Jesus nos propõe em seu discurso pragmático, como bem nos lembrou Dom Manoel José Francisco na celebração onde foi apresentado à Arquidiocese de Londrina como novo Administrador Apostólico.

Por Pe. Luís Miguel Modino via site CEBs do Brasil http://www.cebsdobrasil.com.br/eventos/ampliada-nacional-das-cebs-constroi-14-intereclesial.html

 

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *