Artigos e EntrevistasCEBs e os Mártires da Caminhada

Pe. Ezequiel Ramin – Mártir da Terra

Pe. EZEQUIEL RAMIN
Mártir da Terra
CACOAL-RO * 24/07/1980

Memória dos 35 anos de seu martírio

Ezequiel Ramin, jovem missionário comboniano, veio da Itália para Rondônia, na diocese de Ji-Paraná, onde se entregou generosamente ao serviço e à defesa dos indígenas e dos sem terra.

Vibrava pelas causas da justiça e libertação.

Ameaçado, não desistiu em sua pastoral vinculada ao CIMI e a CPT. Morreu na estrada, crivado de balas pelo latifúndio. E em sua homenagem, foi composto nosso popular canto “Pai Nosso dos Mártires”.

Abaixo algumas frases dita por Ezequiel Ramin:

– Amo todos vocês e amo a justiça… Não aprovamos a injustiça, embora recebemos violência. O padre que vos está falando recebeu ameaças de morte. Queridos irmãos, se minha vida lhes pertence, também minha morte lhes pertencerá.

– Existem, hoje, marginalizados e esquecidos, nas penitenciarias, nos hospitais, asilos, reformatórios, barracos, nas calçadas e debaixo dos viadutos das grandes cidades. São os excluídos da vida. Como se pode ficar indiferente diante de tamanha dor do ser humano? Se Cristo quer servir de mim, não posso recusar.

– Muitas vezes, sinto um nó na garganta e uma grande vontade de chorar, ao ver tantos quilômetros de cerca.

– A morte é uma vitória com aparência de derrota.

– Sinto-me em sintonia com o mundo latino-americano, com suas angustias e com suas grandes esperanças.

– Trabalhar com os pobres é criar primaveras depois do inverno.

Texto elaborado por Tonny, da Irmandade dos Mártires da Caminhada.

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *