Artigos e Entrevistas

Carta de apoio a Francisco, bispo de Roma

Foi com grande alegria e emoção que as CEBs do regional Sul se reuniram no último dia 10 de setembro para celebrar a memória dos 25 anos do 8º Intereclesial que aconteceu em Santa Maria em 1982, de 08 a 12 de setembro e teve como o tema: Cebs, povo de Deus renascendo das culturas oprimidas (negros, índios, mulheres, trabalhadores e migrantes). Na ocasião todas as pessoas envolvidadas na organização foram lembradas: leilas e leigos, bispos, padres, religiosos e religiosas que contribuiram para aquele lindo momento!
Os/as participantes do encontro lançaram uma carta de apoio ao Papa Francisco, em consequência as perseguições feitas a ele por grupos conservadores ligados a Igreja e espalhados por todo o mundo. A ideia foi transmitir que a Igreja com cheiro de povo caminha junto ao Papa, numa perspectiva de promover uma Igreja em saída!
Veja a carta na íntegra!
Santa Maria, 10 de Setembro de 2017.
Passados 25 anos do VIII Encontro Intereclesial das CEBs do Brasil, realizado de 8 a 12 de Setembro de 1992, na Cidade de Santa Maria, Coração do Rio Grande do Sul, reuniram-se em torno de 100 pessoas que atuaram nas 40 equipes de serviço que deram sustentação ao evento. Fizemos memória, da organização do encontro, evidenciando o Processo Metodológico na construção de Comunidades e os frutos que dele resultaram, e até hoje permanecem vivos: O engajamento de muitas(os) cristãs(os) nas comunidades e pastorais, bem como nos movimentos de luta por Direitos, a disseminação da organização dos Catadores, o fortalecimento das Alternativas de Economia Solidária e outros meios de promoção e defesa da vida.
O tema “Culturas Oprimidas e a Evangelização na América Latina” buscava, na oportunidade, fortalecer e consolidar o compromisso da Igreja com os oprimidos, também em preparação à 4ª Conferência Latino Americana que aconteceu em Santo Domingos, nas semanas seguintes. O lema do 8º Intereclesial expressava o Sonho de ver o “Povo de Deus Renascendo das Culturas Oprimidas.” Porém, com muita dor e tristeza, lembramos que os Gritos dos Oprimidos, dentre eles o Pedido de Perdão pelo massacre dos povos indígenas não só não foram ouvidos na oportunidade, como continuam clamando por Vida, e “Vida em Plenitude para Todos” conforme o desejo de Jesus expresso no Evangelho de São João (10,10).
Vida Plena para as mulheres, os indígenas, os afrodescendentes, os trabalhadores e trabalhadoras, desempregados e milhares de outros(as) excluídos(as), que aumentam mais cada dia com o desmonte dos direitos trabalhistas, previdenciários e outros.
Anunciamos, com muita ALEGRIA, que as CEBs não morreram, como muitos desejavam, apesar de terem passado por um processo de esfriamento eclesial, e ainda, em muitos lugares estarem na travessia do deserto, onde lhes foram, nesses 25 anos, privadas as presenças de novos religiosas, religiosos e sacerdotes, especialmente no processo de formação inserida nos meios populares. Nesse vácuo eclesial deixado pela retirada da presença dos inúmeros agentes leigos(as) religiosos(as) e do Clero, proliferarem outras alternativas de expressão da fé.
Sentimos que o Senhor está fortalecendo o caminho de reconstrução da Igreja Comunidade de Comunidades, Sinal vivo do Reino de Deus na história da humanidade, prenúncio do Reino Definitivo.
Você, Francisco, o faz com alegria evangélica, mas com humildade de coração, testemunhando com sua própria vida o Jeito de Servir e não de ser Servido. Despojado de toda e qualquer forma de poder, inclusive da exclusividade dos aposentos papais para viver em comunidade convivendo na Casa Santa Marta.
Como o Resto de Israel, que resistiu valentemente à Opressão dos Faraós e Sepé Tiarajú, Mártir Missioneiro, também nós Povo das CEBs, Solidários com os milhares de descendentes indígenas transfigurados em brancos portugueses, com os afrodescendentes e de modo especial das Mulheres e Jovens que sofrem com a avassaladora violência no cotidiano da vida, estamos resistindo às consequências da Opressão do Mercado Financeiro, que, com seus tentáculos, tem perpassado o tecido econômico, social, político mas também o tecido religioso, exigindo de nós uma profunda conversão e mudança de atitudes, pessoais e institucionais.
Queremos lhe dizer, Dom Bergoglio, que tenhas sempre forças e não esmoreças nessa árdua tarefa de conduzir a Igreja nos Trilhos do Projeto de Deus, diante das resistências que vens encontrando no interior da própria Igreja e fora dela. Manifestamos nosso Compromisso Missionário e Profético de continuarmos firmes nossa missão, guiados e iluminados pela força do Espírito Santo.
Conte com nossas orações e continue rezando por todos nós!
Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *