Artigos e EntrevistasCEBs e Mulheres

Mensagem do Vicariato Episcopal para ação social e política pelo Dia Internacional da Mulher


“A Igreja não é ‘o’ Igreja, mas ‘a’ Igreja. A Igreja é mulher, é mãe, e isto é bonito.
Deveis pensar e aprofundar isto”. Papa Francisco

Saudamos com alegria e gratidão todas as mulheres por ocasião do Dia Internacional da Mulher.
A Igreja reconhece o especial papel da mulher na sociedade, em sua atuação humanizadora e transformadora pelo fim da discriminação, da desigualdade econômica ou qualquer outra forma de desigualdade e entre mulheres e homens.
Nos indignamos e nos solidarizamos, em sintonia com a Campanha da Fraternidade deste ano, contra a invisibilidade, a violência, a pobreza, a exploração do trabalho e o tráfico humano, situações em que as mulheres são as principais vítimas.

Esta realidade, marcadamente opressora, não condiz com o Reino e exige de toda Igreja ações decididas para transformá-la, sobretudo porque as mulheres ocuparam um lugar especial no coração de Jesus.
Iluminados pela fé, somos convidados a contribuir pelo fim da violência cultural e o machismo, que tanto mal traz as nossas famílias, comunidades e à sociedade.

Recordamos as recentes notas da CNBB que nos chamam a atenção para a retirada de direitos, retrocedendo em conquistas que melhoraram a vida das mulheres. A fragilização das políticas públicas traz por consequência, maior sofrimento para os pobres e, sobretudo, para as mulheres pobres, que ainda são as principais responsáveis pelo cuidado com as crianças, os idosos e os enfermos.

Enchem-nos de esperança os avanços na ocupação de espaços de decisão e o crescente protagonismo feminino.

O aumento dessa participação é parte da construção de uma sociedade de fraternidade, igualdade, justiça e paz, e deve ser compromisso dos cristãos e das cristãs.

Nossa fé em Deus nos chama ao compromisso com as mulheres negras, pobres, catadoras, indígenas, encarceradas, prostituídas, traficadas e tantas outras vítimas das mais diversas violências.

Que neste dia 8 de março, e em todo o tempo, lembremos que nossas comunidades devem ser sempre espaço de acolhida, valorização e fortalecimento da mulher.

Que Maria, Mãe do Filho de Deus, esposa e trabalhadora, proteja as mulheres de nosso país.

*Dom Otacílio Ferreira de Lacerda*
Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte e
referencial do Vicariato Episcopal para a Ação Social e Política

*Padre Júlio César Gonçalves Amaral*
Vigário Episcopal para a Ação Social e Política

7 de março de 2018
http://social.arquidiocesebh.org.br/noticias.php?id_noticia=212

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados