Notícia

Encontro de formação da comissão regional de CEBS do NE2

Nos dias 09 a 11 de novembro 36 membros da nossa comissão de CEBs, representando 13 dioceses dos estados de RN, PB, PE e AL reuniram-se no Santuário das Comunidades em Caruaru/PE, para vivenciar, celebrar e aprofundar o jeito de ser das Comunidades. Contamos com lindas celebrações, transmitindo uma verdadeira espiritualidade libertadora, aconchegante, inspiradora, com a participação encantadora de jovens e boas reflexões dos demais, a partir de 1 Samuel 8, onde o povo insiste em querer um rei e a partir do evangelho da viúva que depositou tudo o que tinha no tesouro do Templo (Lc 12, 41ss). Tivemos a felicidade de estar juntos com Dom Sebastião Armando, biblista, que nos guiou, com sua sabedoria, durante as nossas conversas.

Iniciamos com um trabalho em pequenos grupos, fazendo memória da nossa caminhada, partilhando como a comunidade da qual fazemos parte está funcionando, e apontando desafios novos. A partir daí refletimos em torno de um pensamento estratégico de nossa ação.  Focamos três pontos:

  1. A caminhada das CEBs é um processo. Não é um evento, uma ação pastoral isolada. No processo, a vida do dia-a-dia das pessoas está no centro, com seus avanços e retrocessos, com suas dores e suas alegrias.
  2. A religião é uma coisa, a é outra. Uma pessoa muito religiosa não necessariamente é uma pessoa de fé e vice-versa. Levantou-se a pergunta: A quem serve a religião? E a quem serve a fé? Na fé procurarmos firmeza no nosso caminho, confrontando os nossos planos com a vontade de Deus, sempre buscando ser semelhante a Ele, cuidando de sua criação. A religião é como uma forma, não é o conteúdo. O conteúdo é nosso compromisso concreto.
  3. O rodízio do poder. Citamos Mc 10.43: Quem quiser ser grande, deve tornar-se o servidor de vocês. A construção do discipulado de iguais, num poder serviço, é um desafio constante, buscando valorizar o que tem de bom e melhor em todas as pessoas que fazem parte da comunidade, desde as crianças até as pessoas idosas.

Treze dias após a derrota nas eleições, nós nos sentimos como os discípulos de Emaús. As boas conversas durante o encontro nos animaram, era como Jesus estivesse caminhando conosco; e em todas as partilhas os nossos olhos se abriram. Na avaliação uma pessoa disse á outra: não estava o nosso coração ardendo? E nos levantamos e voltamos revigorados e revigoradas às nossas Comunidades cantando; ” Vence a tristeza, enxuga o pranto, ó meu povo, vem cantar um canto novo, Deus da vida aqui está… “

Por Hermínia Boudens

 

 

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados