Notícia

Sínodo de Leigos

A coordenação da Rede nacional de leigas e leigos do Chile convocou um Sínodo Leigo para os dias 4, 5 e 6 de janeiro de 2019

“É uma auto-proclamação do povo de Deus e ninguém que queira participar e compartilhar sua dor e esperança será deixado de fora”, diz a convocatória.

O Chile e o mundo inteiro conhecem a imensa crise que vive a Igreja católica, na qual os protagonistas – precisamente – são os foram chamados a cuidar do povo de Deus.

O Autoritarismo na igreja, as práticas patriarcais,o  clericalismo que é a fonte de muitos abusos sexuais e de poder, a cultura de acobertamento dos crimes criada pelos bispos e tantas outras coisas vem afetando a fé do povo de Deus. “É por isso que decidimos ouvir e conversar: Caminhe da dor para a esperança”.

Fazemos isso aceitando o chamado que o Papa Francisco nos fez:
“Com vocês será possível dar os passos necessárias para uma renovação e conversão eclesial que seja saudável e de longo prazo. Com vocês se poderá fazer a necessária transformação que tanto necessitamos. Sem vocês não se pode fazer nada. Exorto a todo o Santo Povo fiel Deus que vive no Chile a não ter medo de envolver-se e a caminhar com o Espírito na busca de uma Igreja cada vez mais sinodal, profética e esperançosa, menos abusiva, porque sabe colocar Jesus no centro, no faminto, no prisioneiro, no migrante, no abusado” (Carta ao Povo de Deus que Peregrina no Chile, 31 de maio de 2018).

Portanto, entendemos por sínodo, um processo de escuta e diálogo participativo para uma igreja comunitária. Assim, a reunião que convidamos não é um evento, é uma assembléia que começa a fazer uma caminhada juntos que pode durar vários anos.

Esta primeira Assembléia Sinodal será realizada nos dias 4, 5 e 6 de janeiro de 2019 , no Santuário do Padre Alberto Hurtado, em Santiago.

Estamos todos convidados para esta reunião. É uma auto-proclamação do povo de Deus e ninguém que queira participar e compartilhar sua dor e esperança será deixado de fora.

Bispos, sacerdotes e diáconos que desejam participar, também se considerem convidados. Mas com uma pequena condição: “vá para ouvir”.

O que é o Sínodo Leigo?

Entendemos que sínodo é “caminhar juntos” em “um processo de escuta e de diálogo permanente, para uma igreja de comunidades”, ou seja, uma ação prolongada no tempo (que a assembléia definirá) acompanhada por muitas e muitos, onde seja possível melhorar a caminhada que fizemos até aqui. Isso implica decisões e mudanças.

Portanto, o encontro de janeiro próximo não é o próprio Sínodo, mas a abertura do que definimos como sínodo. É o jogo. Por isso, é importante ouvir-nos, reconhecermo-nos, abraçar-nos, recuperar a confiança e fazer memória, falar da nossa caminhada, das nossas dores e esperanças, compartilhar como chegamos até aqui.

É um processo inclusivo da diversidade da igreja, participativo e pluralista. Não está fechado para ninguém. É o oposto, aberto para qualquer pessoa, grupo, movimento, paróquia, etc. Queremos que participem todas e todos que procuram ser féis a Jesus de Nazaré, que querem como Jesus uma igreja distante do poder e da riqueza, essencialmente participativa, respeitosa e inclusiva das mulheres e, especialmente, não clerical, nem autoritária.

Assim, todas e todos podem participar. Basta inscrever-se no site www.sinodolaicalchile.cl

É um encontro nacional porque virá gente do Sul e do Norte, seremos acolhidos pelas pessoas do Centro do país. Assim, teremos rostos concretos de todas as regiões do Chile.

O Sínodo é auto-convocado porque surgiu de nossas próprias reflexões e nos propusemos realizá-lo com o apoio do Espírito. Não temos memória de uma iniciativa semelhante no Chile e na América Latina, pelo menos. Portanto, sentimos que estamos abrindo um caminho que não foi percorrido. Fazemos isso com responsabilidade e com a confiança do que Francisco reiterou tanto para nós: fomos ungidas e ungidos pelo Espírito Santo e, portanto, vamos deixá-lo falar nesta comunidade de comunidades que acaba de começar.

Rede Nacional Leigas e Leigos do Chile

No dia do quadragésimo aniversário da “Carta de Santiago” sobre Direitos Humanos,

25 de novembro de 2018. 

Por Rede Nacional de Leigas e Leigos do Chile, 27 de novembro de 2018.

 

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados