ColunistasNeuza Mafra

Caminhando com Jesus de Nazaré

“No momento atual, a missão das CEBs

é ajudar as nossas dioceses e comunidades a serem Igrejas em saída,

a serviço da Vida e de uma sociedade de justiça ecossocial e de paz”.

Marcelo Barros

CEBs caminhando com Jesus de Nazaré, é o nome da Cartilha que está chegando em nossas mãos. Ela foi construída pelo GT de Formação da Ampliada Nacional das CEBs, em meio à pandemia, de forma remota e, não custa repetir aqui um chavão tão usado em outras circunstâncias, para dizer que “ela foi pensada por muitas cabeças e escrita por muitas mãos”.

A Cartilha é fruto da preocupação com uma lacuna sentida na caminhada das CEBs no Brasil, a formação. Ela quer ser um instrumento de formação permanente que ajude nossas comunidades, a qualquer tempo, a apropriarem-se de seus conteúdos, uma vez que eles pretendem ajudar a empreender um caminho com Jesus de Nazaré, até chegar ao coração de cada pessoa  disposta a colocar-se na dianteira de uma Igreja em saída, comprometida com a defesa da vida e com a justiça social.

Diz o Padre Marcelo Barros na introdução da Cartilha, que toda pessoa que ama gosta de receber uma mensagem da pessoa amada e que esta cartilha é mais do que isso, nela  descobrimos que somos filhos e filhas amados/as de Deus e que seu Espírito Mãe nos chama para formarmos comunidades como se fosse uma conspiração amorosa, criada para transformar este mundo em espaço de justiça, paz e cuidado com a mãe Terra, nossa casa comum.

A Cartilha nos presenteia com sete encontros que nos ajudarão a rever nossa vida, nossa história, nossa opção de vida e, sobretudo, nossa coerência com o Projeto de Deus, trazido por seu Filho Jesus de Nazaré.  Vamos caminhar pela Cartilha?

O primeiro encontro, cujo tema Quem é Jesus para nós hoje? é uma verdadeira provocação, afinal, já o conhecemos há tantos anos. Mas onde se fundamenta nosso conhecimento? Numa sociedade cercada de tantos “messias” e “salvadores da pátria”, é importante rever o fundamento de nossa fé e nossos posicionamentos. Estamos falando de Jesus que assumiu na própria carne as dores do mundo. Jesus não é o messias conquistador, triunfante e vencedor que muitos esperavam. Ele optou pela cruz. Por isso, muitos que o seguiram ao longo da história tornaram-se mártires, e continuam fazendo a semente germinar.

No caminho, como CEBs, nos descobrimos “Povo de Deus”, herança deixada pelo Concílio Vaticano II. O Concílio expressou fortemente que a Igreja é o Povo de Deus. Busca na Bíblia o real sentido para designar o Povo de Deus: Povo reconhecido, assinalado na fronte, que está a serviço na Igreja e no mundo e que atua em igual dignidade.

Voltemos agora nosso olhar para o núcleo central da mensagem de Jesus, O Reino de Deus e a sua Justiça. Ao anunciar a aproximação do Reino, Jesus traz a esperança aos pobres, faz chegar a todos o seu amor, a sua justiça, a salvação e a felicidade. No seu Reino, não há lugar para o mal, a opressão, a dor e a morte, e se deve promover a libertação e a dignidade de todos os povos.

Como continuadoras das comunidades cristãs, as CEBs se vêem retratadas no espelho das primeiras comunidades cristãs. Ao beber na fonte da Palavra de Deus, encontram suas características, seu jeito de organizar-se e colocar-se a serviço do projeto de Deus, que no dizer de Francisco: “trazem um novo ardor evangelizador e uma capacidade de diálogo com o mundo que renovam a Igreja”.

Caminhar com Jesus de Nazaré, inevitavelmente, faz-se a Opção preferencial pelo/as pobres. Neste encontro somos colocados frente a frente com os prediletos do Reino de Deus, considerados hoje como “descartáveis, lixeira humana”.

No Encontro, onde A Comunidade se organiza, vamos fortalecer nossos laços de irmandade. A comunidade nos ensina que para realizar a missão evangelizadora são necessários muitos serviços e trabalho coletivo. Nela os dons e carismas são valorizados e colocados a serviço, por isso são reconhecidos como ministérios.

E por fim, chegamos como CEBs, a uma Igreja Sinodal, que significa caminhar juntos. É a tão sonhada Igreja onde todos temos lugar, voz, vez e espaço para expressar nossa pertença à Igreja. É o jeito de uma comunidade viver e reunir-se em assembleia e contar com a participação ativa de todos os seus membros na missão evangelizadora.

Iniciamos a Caravana Formativa nos regionais e regiões sobre a Cartilha. Depois, precisamos nos organizar para avançar no processo de formação! Boa caminhada!

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
plugins premium WordPress