ColunistasSolange dos Santos Rodrigues

Os Intereclesiais e a produção de conhecimento sobre as CEBs

Um aspecto pouco destacado na experiência dos Intereclesiais é a rica e diversificada produção de conhecimento a que eles têm dado origem. Estudiosos de diferentes campos do conhecimento elaboraram uma série de trabalhos que pretendem dar um tratamento teórico à experiência das CEBs.

Dou um exemplo: Leonardo Boff desenvolveu uma inovadora reflexão sobre o lugar das classes populares (e das CEBs) na Igreja, e suas repercussões eclesiais, a partir dos dois primeiros Intereclesiais, realizados em 1975 e 1976. Esta análise que deu origem ao livro Eclesiogênese: as comunidades eclesiais de base reinventam a Igreja, publicado em 1977.

Em um balanço da teologia desenvolvida no Brasil na década de 70, João Batista Libanio destacou a importância dos Intereclesiais: “os melhores trabalhos que se produziram sobre eclesiologia e sobre o uso da Bíblia pelo povo etc. vieram desses encontros (…). Considero uma das melhores coisas produzidas na teologia do Brasil a respeito de eclesiologia na perspectiva da Teologia da Libertação e muito ligada aos movimentos populares” (“O caminho da teologia”, artigo do livro Pastoral da Igreja no Brasil nos anos 70, de 1994).

Estes trabalhos no âmbito da Teologia, mas também das Ciências Sociais, História, Pedagogia, formam um conjunto diversificado. Apresentam, porém, um traço comum: são reflexões associadas à experiência das CEBs, que se destinam a subsidiar a ação pastoral. Ou seja, neste processo é acionada uma contínua circulação de saberes em espiral: partindo da prática vivida nas CEBs, é feita uma elaboração analítica que, por sua vez, produz uma incidência sobre a realidade eclesial que, mais adiante, desencadeará novas análises.

A maior parte deste material foi publicada na forma de artigos nas revistas Sedoc (Serviço de Documentação), REB (Revista Eclesiástica Brasileira), Síntese, Perspectiva Teológica, Cadernos do CEAS, Tempo e Presença. Estas análises, por sua vez, foram fonte acionada por diversos estudiosos na elaboração de suas teses acadêmicas. Muito do que se sabe sobre as CEBs está baseado nestes escritos.

Durante a preparação para o 9º Intereclesial em um seminário de assessores e assessoras, na cidade Goiânia, uma das questões levantadas foi: em que medida os Intereclesiais revelam o que acontece no dia-a-dia das CEBs? Os encontros, ocasiões festivas, tenderiam a privilegiar o relato de experiências bem sucedidas. Seus participantes, bastante comprometidos com o projeto eclesial alicerçado nas CEBs, deixariam em segundo plano a exposição das dificuldades e limitações enfrentadas no cotidiano das CEBs. Como numa festa, em que as pessoas se apresentam da melhor forma, em uma ambientação especial.

Se a troca de experiências tem sido um dos objetivos dos Intereclesiais, a maior parte das dificuldades relatadas se refere às oposições que as CEBs vivenciam em determinadas dioceses ou paróquias. Em geral, no material produzido a partir dos Intereclesiais, estão ausentes a dinâmica interna, o exercício da liderança, os conflitos entre os grupos existentes, o funcionamento dos conselhos, as disputas pelo poder, a relação entre as celebrações e a vida comunitária, as divergências referentes a ação sociopolítica etc..

Toda a reflexão sobre as CEBs desenvolvida com base nos Intereclesiais contribuiu para difundir e legitimar este modo de ser Igreja. No entanto, teve um efeito não esperado: inúmeros agentes de pastoral e animadores, ao confrontar a realidade concreta das comunidades com esta literatura, começaram a questionar se estas comunidades eram, de fato, verdadeiras CEBs. Ou se a imagem de uma “CEB ideal” existiria apenas na teoria. Para responder a estes questionamentos precisamos lembrar que esta produção do conhecimento teve como base a prática real de CEBs espalhadas pelo país, em um processo de sistematização da experiência. Por outro lado, é necessário considerar também outros estudos, que resultaram de um mergulho profundo no cotidiano das CEBs. Papo para próximas colunas.

Você pode ler o primeiro artigo da colunista Solange Rodrigues através do link: https://portaldascebs.org.br/2020/10/28/intereclesiais-de-cebs-no-brasil/

 

 

Botão Voltar ao topo