Artigos e EntrevistasCEBs e Liturgia

EM CASA – Oitava da Páscoa
Memória da Ressurreição de Jesus

Nesta semana da oitava da páscoa, segue uma proposta de ofício simples, ligada às refeições.

  1. ABERTURA

Pão em todas as mesas,

da páscoa a nova certeza,

a festa haverá e o povo a cantar, aleluia.

  1. LEITURA DO EVANGELHO Evangelho do dia ou: Lc 24,13-20.25-31 ou

Leitura do Evangelho de Lucas.

Naquele mesmo dia, o primeiro da semana, dois dos discípulos iam para um povoado, chamado Emaús, a uns dez quilômetros de Jerusalém. Então, Jesus perguntou: “O que andais conversando pelo caminho?” Eles pararam com o rosto triste, e um deles, chamado Cléofas, lhe disse: “És tu o único peregrino em Jerusalém que não sabe o que lá aconteceu nestes dias?” Ele perguntou: “Que foi?” Eles responderam: “O que aconteceu com Jesus, o Nazareno, que foi um profeta poderoso em obras e palavras diante de Deus e diante de todo o povo. Os sumos sacerdotes e as nossas autoridades o entregaram para ser condenado à morte e o crucificaram. Então ele lhes disse: “Como sois sem inteligência e lentos para crer em tudo o que os profetas falaram! Não era necessário que o Cristo sofresse tudo isso para entrar na sua glória?” E começando por Moisés e passando por todos os profetas, explicou-lhes, em todas as Escrituras, as passagens que se referiam a ele. Quando chegaram perto do povoado para onde iam, ele fez de conta que ia adiante. Eles, porém, insistiam: “Fica conosco, pois é tarde e a noite vem chegando!” Ele entrou para ficar com eles. Depois que se sentou à mesa com eles, tomou o pão, pronunciou a bênção, partiu-o e deu a eles. Neste momento, seus olhos se abriram, e eles o reconheceram. Ele, porém, desapareceu da vista deles.

  1. ORAÇÃO À MESA

Bendigamos ao Senhor por esta refeição e cantemos:

Nós te damos muitas graças, te rogamos, ó Senhor.

  • Nós te agradecemos ó Pai, porque, ressuscitado, Jesus se manifestou aos discípulos de Emaús durante uma refeição, tirando dos seus corações as sombras e a tristeza da morte.

Nós te damos muitas graças, te rogamos, ó Senhor.

Nós te agradecemos porque, ressuscitado, ele quis fazer do alimento preparado e partilhado fraternamente, sinal de que está vivo e nos fortalece e anima a cada novo dia.

Nós te damos muitas graças, te rogamos, ó Senhor.

  • Junto de nós, nesta refeição, ele nos alegra com a sua presença, enquanto comemos e bebemos em seu nome, como irmãos e irmãs.
  • Nós te damos muitas graças, te rogamos, ó Senhor.
  • Toda a nossa louvação chegue a ti, em nome de Jesus por quem oramos com as palavras que ele nos ensinou: Pai nosso…
  • Derrama sobre nós e estes alimentos, a tua bênção, tu que és Deus, com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém.

    Abril de 2020

Penha Carpanedo, da Congregação Discípulas do Divino Mestre (Apostolado litúrgico), redatora da Revista de Liturgia, membro da Rede Celebra de animação litúrgica.

Disponibilizamos também uma versão em pdf para aparelho celular: https://drive.google.com/open?id=1AJivev60l7aomNCSaThfaUWFsW5BOyTX

Botão Voltar ao topo
plugins premium WordPress