15º Intereclesial das CEBsNotícias

Carta do 15º Encontro Estadual das CEBs às Comunidades do RS

Diocese de Rio Grande, em Rio Grande, 24 de abril de 2022

No encontro das águas celebrar a esperança / No encontro das águas renovar a aliança / No encontro das águas doces e salgadas / Somos comunidade lugar de pertença e vivência da fé, nos desafiando, especialmente em meio à pandemia, a avançarmos para águas mais profundas e lançar as redes para pescar, como Igreja em saída para as periferias na busca da vida plena para todas e todos.

Era para ser em 2020, quando a pandemia nos atingiu em cheio, pondo a nú as graves contradições desse sistema cada vez mais insuportável, que exclui, degrada, mata e precisa ser mudado, um compromisso de todas e todos nós.

Tempos difíceis, de muitas incertezas, angústias e perdas, em que tivemos que nos reinventar todos os dias, para não deixar que nos roubassem a esperança. Tavez, a maior lição de todas, que nos marcou mais fundo ainda, foi que só juntas e juntos, ninguém soltando a mão de ninguém, organizados em comunidades, podemos resistir e impulsionar as lutas para mudar essa realidade.

E as CEBs sempre foram desafiadas a ser, com forte acento missionário e ligado ao compromisso sociotransformador, a presença da Igreja juntos aos mais simples e mais vulneráveis, comprometendo-se com eles em buscar uma sociedade justa e solidária. E foi este o apelo fortemente sentido neste acalorado encontro, ainda que virtual, de buscarmos dinamizar as nossas CEBs, com muita consciência e paixão, ancorados na convicção da sua importância para a conversão pastoral da nossa Igreja para que seja presença cada vez mais profética e samaritana no mundo.

No caminho ao 15º Encontro Intereclesial das CEBs, marcado para 18 a 22 de julho de 2023, caminhando com Jesus de Nazaré, inspirados em nossa Mãe de Fátima e São Pedro pescador, assumimos como CEBs no Rio Grande do Sul os seguintes compromissos:

  • Proporcionar a ABERTURA DE TODAS AS COMUNIDADES (romper o medo), através de momentos de estudos da Palavra de Deus: círculos bíblicos, leitura orante, e reflexão contextualizada, formação bíblico/pastoral e litúrgica, valorizando a simbologia que faça a memória da caminhada vivenciada pela comunidade e a religiosidade popular.
  • Reestruturar as comunidades na perspectiva sinodal (caminhar juntos) abrindo espaços para que todos possam assumir a missão, com ênfase a participação das juventudes e das mulheres nos espaços de decisão, como conselhos comunitários e nos diversos serviços existentes na comunidade eclesial e na realidade social, em sintonia e integração entre nossas pastorais, as Caritas estadual e diocesanas, e setores eclesiais para sermos mais luz, sal e fermento de transformação da atual conjuntura da sociedade.
  • Estabelecer parceria com a 6ª Semana Social Brasileira para que a Igreja mergulhe mais fundo na questão social do povo.
  • Incentivar e apoiar a formação acerca do Ensino Social da Igreja nas comunidades, incentivando a organização de grupos de estudo.
  • Interagir com as diversas iniciativas em defesa da vida em nossos territórios, desde os movimentos sociais e populares, bom como os grupos de ação social das comunidades, dos órgãos de Assistência Social dos bairros e municípios, visando contribuir para a promoção integral da dignidade humana.
  • Fortalecer as CEBs nas dioceses e a Ampliada estadual, procurando articular e engajar as dioceses ausentes, para que o nosso testemunho seja mais eficaz neste mundo ferido pela ganância sem limites, no caminho ao 16º Encontro Estadual das CEBs.
  • Assumir e intensificar estudos e práticas dos cuidados com a Casa Comum e a defesa da Paz.
  • Aprofundar a opção pelos pobres, com especial atenção aos migrantes e à população de rua, procurando ser presença profética e samaritana em suas lutas de resistência, em defesa da sobrevivência, e de mudanças das atuais políticas hegemônicas, participando da construção de um Projeto Popular para o Brasil.
  • Impulsionar a retomadas de um intenso e permanente trabalho de base na Igreja e nos territórios onde atuamos, procurando avançar para as periferias mais vulneráveis, com particular atenção para o protagonismo das juventudes e das mulheres.
  • Criar de um Fórum Virtual sistemático das pastorais sociais para as discussões das realidades locais e outras formas de comunicação, essenciais para a nossa caminhada.

Maria, Mãe de Fátima, ajuda-nos a “fazer tudo o que Ele disser” (Jo 2,5), caminha conosco para que tenhamos coragem e sigamos, com ousadia profética, a missão de sermos fermento de transformação em nossas comunidades e na sociedade.

Amém! Axé! Awere! Aleluia!

Delegadas e delegados do 15º Encontro Estadual das CEBs

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
plugins premium WordPress